Grupo Vall Companys impulsiona digitalização

A empresa alimentar trabalha há anos com inteligência artificial e sensores nas suas explorações e criou agora uma spin-off e aplicações dedicadas à indústria agroalimentar

Joaquín Terés, diretor de Sistemas Industriais do grupo alimentar Vall Companys, revelou na feira Alimentaria FoodTech, que se realiza esta semana em Madrid, como a sua empresa está a trabalhar digitalmente para impulsionar o seu negócio de carne e gado.

Depois de explicar o impacto das novas tecnologias na agricultura e na pecuária e, portanto, em toda a cadeia agroalimentar, explicou os projectos digitais em que o grupo, cuja estratégia de TI lidera, está imerso, como a Farm 5.0, uma plataforma de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (I&D&I) criada como resultado da colaboração entre as equipas técnicas especializadas do Grupo e os seus agricultores, e que visa aplicar tecnologias que melhoram a suinicultura. “Há anos que trabalhamos com inteligência artificial e muitas das nossas explorações integradas já estão sensorizadas. É uma tecnologia que veio para ficar e, no futuro, a formação será fundamental para ter critérios e utilizá-la da forma mais eficiente”, nas palavras de Terés.

O Grupo também desenvolveu uma aplicação (denominada Vall Smart Farm) que os agricultores podem utilizar para monitorizar os valores ambientais e de consumo das explorações e, assim, detetar e prever incidentes que possam afetar a criação. Este sistema, explicou o CIO, “reforça ainda mais a saúde e o bem-estar dos animais, ao mesmo tempo que reforça o compromisso do Grupo com a otimização e a sustentabilidade das explorações”. Além disso, a aplicação inclui um campus virtual onde os agricultores podem descarregar vídeos de formação e de gestão dos animais.

Fotos: ciospain.es

Próximo objetivo: democratizar a tecnologia no sector primário

A empresa acaba de criar a Nealia, uma spin-off centrada no desenvolvimento digital e destinada aos agricultores externos ao grupo e à indústria agroalimentar. O objetivo desta iniciativa é “promover o desenvolvimento tecnológico da pecuária e tornar o mundo rural mais sustentável, resiliente e forte”, segundo o CIO, que explicou a intenção do grupo de democratizar a sua tecnologia e colocá-la à disposição de todo o sector primário.

Este produto, disse, visa fornecer aos agricultores ferramentas digitais para que possam controlar as suas explorações a partir dos seus telemóveis e facilitar a gestão e manutenção das mesmas. Possui dispositivos IoT que monitorizam as variáveis ambientais da exploração (temperatura, humidade e CO2), proporcionando um melhor controlo energético, facilitando o tratamento dos animais e reportando qualquer incidente através de alertas precoces.

O grupo também acaba de lançar um sistema de inteligência artificial e visão para medir de forma constante e automática diversas variáveis da criação de animais e gerar relatórios de crescimento que indicarão se eles estão seguindo a curva de crescimento correta de acordo com a sua genética.

Autores

Artigos relacionados

O seu comentário...

*

Top