SaaS e canal suportam receitas da Oracle Portugal

PaaS e IaaS são as áreas onde o fabricante espera uma “aceleração” de negócio no mercado português, onde obteve o seu melhor exercício de sempre em 2015/2016.

A Oracle Portugal obteve um crescimento de receitas na ordem dos dois dígitos, durante o ano fiscal de 2016 (findo a 31 de Maio), revelou esta terça-feira o director-geral da subsidiária nacional, Hugo Abreu, sem revelar números absolutos. Foram “dois dígitos muito grandes”, apenas dizendo que 90% das receitas dos novos projectos, na área aplicacional, assentam no modelo de SaaS.

Hugo Abreu prevê que a próxima “aceleração” e a adopção da cloud computing envolverá o recurso a modelos de PaaS e IaaS. A organização quer aproveitar essa vaga mas a direcção equaciona ainda se a “receita” de negócio não terá de ser alterada. A transformação prevista nos potenciais clientes “vai ser muito profunda”, justifica o responsável.

Há cerca de dois anos, a equipa directiva definiu um plano para três anos tendo atingido os objectivos pretendidos já em 2016, segundo o responsável. Os principais factores para o sucesso da iniciativa ligaram-se à abrangência da oferta do fabricante, à incidência na aquisição de quota de mercado (dado o fraco dinamismo do mesmo) em prejuízo da concorrência, e o enfoque no trabalho com os parceiros.

85% das receitas de novos negócios são provenientes do canal
O peso das receitas de novo negócio realizado em conjunto com os parceiros aumentou para 85% da facturação da empresa em Portugal, confirmou Manuel Dias, responsável pelas operações com o canal de negócio. É sobretudo referente a contratos com empresas médias. Mas só perto de 5% é referente a projectos com suporte em cloud computing, avançou Hugo Abreu.

Apesar disso, Manuel Dias considera que já não se pode falar de desconfiança por parte dos parceiros face ao negócio baseado em cloud computing, como seria há cerca de três anos. E diz existir uma “nova geração” de parceiros, sem esclarecer a que elementos concretos se liga a maior receptividade. Admitiu, no entanto, o facto de os parceiros terem de concretizar mais negócios para realizarem o mesmo volume de negócio.

Considera ainda que a “velocidade” a que se desenrola o negócio em modelo de cloud computing gera um maior surgimento de projectos. A oferta disponível na cloud da Oracle permite também uma maior difierenciação entre parceiros, ao promover a especialização

Segundo Manuel Dias, na base do dinamismo da actividade no canal está uma reorganização realizada pela empresa, à escala da Europa Ocidental, que resultou com elevado êxito em Portugal.

Tags

Artigos relacionados

O seu comentário...

*

Top