Bons arquitetos de computação em nuvem são generalistas, não especialistas

As empresas que se focam na arquitetura de cloud podem perder soluções valiosas ao não entender tudo o que a tecnologia tem para oferecer.

Por David Linthicum

Na década de 1990, filtrava os empregos que queria com base na forma como definiram o papel do arquiteto corporativo. Muitos concentrar-se-iam numa capacidade específica da plataforma em vez de compreender soluções mais holísticas que muitas vezes eram a melhor escolha.

Se anunciassem um arquiteto, mas focado numa determinada plataforma (por exemplo, Unix, Windows ou mainframes) como a principal qualificação, eu sabia que não estavam à procura de um arquiteto, mas sim de um especialista no assunto específico da plataforma. Assim, muitos tinham o título de “arquiteto”, mas normalmente não eram.

Além disso, custam muito dinheiro à empresa em oportunidades perdidas. Os arquitetos têm a tarefa de encontrar soluções. No entanto, se não estiverem focados nas maiores possibilidades e em todas as tecnologias, muitas vezes perdem essas oportunidades.

Agora estamos à procura de arquitetos de cloud e o mesmo problema está de volta. Tipicamente, há confusão em torno das certificações, o que significa “(insira o nome do grande provedor de cloud aqui) Arquiteto”. Estas certificações demoram cerca de 20 horas em formação online.

Não me entenda mal, precisa de alguém que se concentre numa cloud específica. Mas também precisa de alguém que pense no panorama geral e considere todas as tecnologias da computação em nuvem. Suspeito que um arquiteto certificado por um fornecedor específico de nuvem verá apenas esse fornecedor como a solução correta para armazenamento, bases de dados, computação, inteligência artificial, etc.

Sempre disse que os arquitetos de computação em nuvem precisam de estar atentos a todas as soluções tecnológicas, não apenas às baseadas na nuvem. Precisam de uma combinação de sistemas empresariais tradicionais, rede, segurança, governação e soluções agora baseadas na nuvem. Precisam entender como todas as peças se encaixam de uma forma otimizada e melhor para o negócio.

Muitas vezes encontro arquitetos de cloud que não tiram os olhos dos ecrãs para encontrar soluções melhores e mais otimizadas. Concentram-se apenas nas opções de um único fornecedor de nuvem, porque é tudo o que realmente sabem.

O problema vem do conceito de generalizado versus especializado. Sabemos que é fácil inscrever alguém num curso de arquitetura de cloud focado num único provedor de nuvem, mas onde se encontram arquitetos com mais competências holísticas?

Infelizmente, nenhum curso pode levá-lo lá em 20 horas. Estas competências baseiam-se em mais experiência, onde já fez muitos projetos que usaram muitos tipos diferentes de tecnologia – cloud e não cloud. A pessoa que deseja deve ser um aluno em curso, devorando detalhes e informações privilegiadas sobre plataformas específicas e funcionalidades e funções da ferramenta. A pessoa certa sempre entenderá que esta aprendizagem nunca vai parar.

Só assim poderão garantir que as soluções de arquitetura que escolher são provavelmente as certas para o negócio, independentemente da tecnologia ou fornecedor público de nuvem. Simples e o bastante.

Autores

Artigos relacionados

O seu comentário...

*

Top