As cinco distribuições de Linux mais indicadas para uso geral

O especialista em código aberto, Jack Wallen indica as versões mais “amigáveis” do sistema operativo.

O Linux mantém-se no mercado com uma distribuição na área de trabalho um tanto quanto confusa para muitos, por conta das várias distribuições existentes no mercado – consequência do seu sistema de código aberto.

Apesar do sistema operativo ainda estar muito distante de se tornar popular, muitos developers acabam por trabalhar nas distribuições mais famosas, que acabam por tornar-se mais intuitivas e fluidas mesmo para quem não entende de programação.

Numa entrevista ao site TechRepublic, Jack Wallen – especialista em código aberto, com um currículo acumulado de mais de 20 anos a trabalhar para marcas como Red Hat, Zorin OS, Kali Linux Debian e CentOs – disse quais são, para ele, as cinco principiais distribuições de Linux para desktop adequadas para uso geral. Confira:

elementary OS

O elementary OS está no topo da lista do profissional como a distribuição “mais recomendada”. O especialista considera leve, elegante e “limpa”. Os desenvopers do elementary OS fizeram uma área de trabalho em que qualquer pessoa pode usar, independentemente do nível de prática, sendo uma das poucas distribuições Linux que não requer curva de aprendizagem. 

O elementary OS é baseado no Ubuntu (que é baseado no Debian). Portanto, a distribuição do Linux também desfruta de estabilidade, compartilha repositórios de software semelhantes e é fácil de instalar, diz. 

Tem o mesmo nível de reconhecimento de hardware e funciona muito bem em desktops ou laptops. Embora venha com poucas aplicações, a loja de apps é uma das melhores do mercado, segundo Wallen.

Ubuntu

“O Ubuntu reinou no topo de todas as listas de distribuição de desktops Linux desde que me lembro, e há várias razões para isso”. A primeira razão para isso é a sua base no Debian, que considera um dos sistemas operativos “mais estáveis do planeta”. 

A segunda, de acordo com o especialista, diz respeito à interface ajustada do GNOME, que tornou o ambiente da área de trabalho fácil de usar e eficiente, havendo pouca necessidade de adicionar extensões do GNOME. “Se o KDE é o seu ambiente de desktop preferido, pode sempre optar pelo Kubuntu”. 

O Ubuntu Linux precisa de poucos ajustes para obter esta distribuição de área de trabalho e fazer o que o utilizador precisa; do hardware ao software e aos codecs, “tudo simplesmente funciona”. Ao instalar o sistema operativo Ubuntu, o utilizador terá um kernel relativamente novo e com o gerenciador de pacotes apt pronto para instalar qualquer tipo de software que queira.

 “O Ubuntu provou repetidamente pode ser usar o Linux sem nunca tocar na janela do terminal – isto coloca o Ubuntu no topo de quase todas as listas de “melhor distribuição geral de desktops”, explica Wallen.

Pop! _OS

Pop! _OS é a distribuição interna do System76, baseada no Ubuntu. Com o System76, o utilizador não encontrará uma única peça de hardware executando o Windows ou o macOS; portanto, “para os puristas de código aberto, isto é uma vitória”. 

O Pop! _OS é uma das poucas distribuições que se pode jogar sem muito trabalho extra. Serviços como o Steam funcionam com pouquíssimos ajustes. E o desempenho do Pop! _OS – especialmente no hardware System76 – é incomparável, diz. Embora adotem uma abordagem muito básica para a área de trabalho, são necessárias apenas algumas extensões GNOME para fazer com que a área de trabalho pareça e se comporte exatamente com o que o utilizador deseja. O Pop! _OS também é fácil de instalar. Finalmente, o System76 adicionou uma forma simples de atualizar o firmware, algo que poucas distribuições podem reivindicar.

Deepin

O Deepin usa o Deepin Desktop como interface de utilizador padrão, que é frequentemente considerada a área de trabalho mais bonita do mercado. Era como se os developers do Deepin tivessem uma base Ubuntu, mergulhados na área de trabalho do GNOME com algumas das extensões mais usadas e depois misturados apenas os bits certos da área de trabalho do macOS para criar a proporção perfeita de função e forma, explica. 

O Deepin também inclui uma boa quantidade de software (compartilhando repositórios semelhantes aos do Ubuntu) para ajudar os utilizadores a trabalhar e jogar. A única diferença entre o Deepin, e muitas outras distribuições do Linux, é que o Deepin opta pelo pacote de ferramentas do WPS Office sobre o LibreOffice. 

O WPS é uma aplicação excelente que qualquer pessoa poderia usar com pouca ou nenhuma curva de aprendizagem. O Deepin estende a elegância ao painel de controle na forma de uma barra lateral, o que torna simples a configuração de todos os aspetos da área de trabalho. 

Manjaro

Manjaro é a única distribuição na lista que não é baseada no Ubuntu e sim baseada no Arch. De um modo geral, o Arch Linux não é para o utilizador médio, mas o Manjaro não é sua distribuição média baseada no Arch. 

O Manjaro Linux é o que acontece quando alguém faz a pergunta: “É possível tornar o Arch Linux fácil de usar?” A resposta para esta pergunta é sim. O Manjaro oferece uma versão com Xfce, GNOME ou KDE. Durante a instalação do sistema operativo, o utilizador pode selecionar qual suíte de escritório deseja (LibreOffice ou FreeOffice). 

Quando os novos utilizadores fazem login pela primeira vez na área de trabalho do Manjaro, são recebidos por uma ferramenta de boas-vindas que oferece muita ajuda para começar a usar o sistema operativo.

Para aqueles que apreciam uma área de trabalho bastante tradicional, a versão do Manjaro no KDE é ideal. Se o utilizador precisa acelerar o Arch Linux, o Manjaro é a distribuição que comprova que o Arch Linux pode ser uma excelente opção para o desktop.

Autores

Artigos relacionados

O seu comentário...

*

Top