Cibersegurança é o principal foco dos CIO para o resto do ano

Um estudo da Hitachi ID, focado nas mudanças e nos gastos com TI após a pandemia do coronavírus, revela que 50% dos entrevistados estão a aumentar os seus orçamentos para apoiar seus objetivos.

A pandemia derrubou os planos da maioria das empresas para 2020, com 70% dos CIO a relatar que as suas prioridades de longo prazo mudaram desde o início do ano. Agora, 89% disseram que estão focados na cibersegurança, enquanto 82% estão a trabalhar na habilitação remota.

Um estudo da Hitachi ID, focado nas mudanças e nos gastos com TI após a pandemia do coronavírus, revela que 50% dos entrevistados estão a aumentar os seus orçamentos para apoiar seus objetivos. Embora os orçamentos sejam apertados também para a metade dos entrevistados, que não espera um aumento nos gastos, a outra metade dos CIO espera que os seus orçamentos aumentem ainda em 2020 para refletir mudanças em TI. Cerca de 33% previram um aumento de 5%, 13% previram um aumento de 5-10% e 9% esperaram um aumento superior a 10%.

O estudo foi conduzido pela plataforma Pulse, a pedido da Hitachi ID, entre os dias 14 de maio a 20 de junho de 2020. Este levantamento entrevistou 131 CIO, VPs e Diretores em empresas de pequeno, médio e grande porte.

As mudanças estão a ocorrer à medida que surgem novas prioridades dos líderes de TI, sobretudo relacionadas com a segurança. A maioria dos inquiridos (86%) disse que pretende melhorar os padrões de segurança no seu ambiente, enquanto 80% estão a tornar sua pilha de tecnologia mais flexível para utilizadores em teletrabalho e locais. Além disso, 75% disseram que esperam manter sua infraestrutura de TI e conjunto de ferramentas atualizadas.

Para atingir as metas de segurança e capacitação remota, 43% dos CIO estão a investir em Identity and Access Management (IAM, gestão de Identidade e acesso) à frente da segurança de endpoint (34%) e da fromação de consciencialização em segurança (17%).

“Priorizar o IAM faz sentido. Os CIO estão acordando para o fato de que a maioria dos hackers não quebra o portão – apenas o desbloqueiam porque já têm as chaves”, diz Kevin Nix, CEO da Hitachi ID. “Os malfeitores estão focados em credenciais roubadas, ataques de phishing e engenharia social, especialmente porque a pandemia obrigou tantos funcionários a trabalhar remotamente. Vimos uma nova urgência entre as empresas que procuram soluções de IAM. No ano passado, as empresas planeavam a adoção do IAM ao longo de um ou dois anos. Agora precisam de implementar no próximo trimestre”, diz.

Tecnologias emergentes

A necessidade de resposta rápida também impulsionou o interesse dos líderes em tecnologias emergentes. Segundo o relatório, 67% dos CIO dizem que estão mais dispostos a investir em tecnologias emergentes. A maioria (88%) dos entrevistados, de empresas com 500-1000 funcionários, planeiam investir em tecnologia emergente, o máximo em qualquer categoria de tamanho. Apenas 45% daqueles de empresas com 5.000 a 10.000 funcionários disseram o mesmo, o nível mais baixo de qualquer categoria.

A maioria dos CIO (87%) considerariam uma tecnologia de segurança emergente em 2020, enquanto 71% considerariam IA e machine learning. Outras áreas tecnológicas emergentes que despertam interesse incluem Estruturas de Armazenamento Avançado, Infraestrutura Hiperconvergente, Computação de Borda e Computação Sem Servidor.

Autores
O seu comentário...

*

Top