Pandemia força mudanças de estratégia de computação em nuvem

Segundo estudo, os CIO manterão serviços e apps em nuvem implementados durante a crise mesmo após funcionários regressarem ao escritório.

Estudos mostram que as empresas aceleraram o processo de migração para a computação em nuvem à medida que o isolamento social era adotado em diferentes regiões com a pandemia da covid-19. Um novo estudo sugere que apesar de muitos países planearem retornar aos escritórios físicos e áreas de trabalho em breve, 60% dos líderes de TI continuarão a aumentar o uso geral da computação em nuvem e 91% já estão a mudar a sua estratégia de computação em nuvem como resultado do clima económico atual.

Um estudo conduzido pela empresa sueca, Snow Software, entrevistou 250 líderes de TI em todo o mundo para descobrir como as decisões do uso e investimento em computação na nuvem evoluíram durante a crise. No geral, 82% dos entrevistados disseram que aumentaram o uso da computação em nuvem nas últimas semanas em resposta à pandemia. A maioria dos entrevistados (60%) disse que o uso da nuvem continua a aumentar, indicando que os padrões de consumo da computação em nuvem ainda estão em fluxo, mesmo após o aumento inicial no trabalho remoto.

Além disso, 66% relataram que continuarão a usar os serviços e aplicações em computação na nuvem implementados durante a crise assim que os funcionários retornarem ao local de trabalho. Surpreendentemente, apenas 22% relataram ter visto um aumento inicial no uso da nuvem, mas que se estabilizou.

“A pandemia de Covid-19 transformou a computação em nuvem num serviço essencial para muitas organizações, para além de destacar as complexidades do gestão de custos e uso da nuvem”, disse Jay Litkey, Vice-presidente Executivo de Gerenciamento de Nuvem da Snow.

Aplicações e serviços em nuvem

Como ressalta a Snow Software, embora o Zoom e o Teams dominassem as noticias, a infraestrutura de computações em nuvem foi realmente a maior impulsionadora desse aumento. Quando perguntados sobre como o uso de aplicações e serviços em nuvem de sua empresa mudou em resposta à crise atual, 76% disseram que aumentaram o uso de plataformas de computação em nuvem como Amazon Web Services (AWS), Microsoft Azure e até nuvem privada.

Mais da metade dos entrevistados (55%) observou um aumento nas ferramentas de colaboração como Slack, Teams ou Google Chat, enquanto 52% dos entrevistados indicaram um aumento no software de videoconferência na nuvem como Zoom, Cisco WebEx ou GoToMeeting.

Embora muitas empresas já tenham contado com esses serviços de produtividade antes da crise, o aumento na infraestrutura de nuvem representa uma mudança mais fundamental na maneira como as organizações operam.

Quando questionados sobre quais as aplicações – além do software de TI principal – que salvaram vidas, os entrevistados disseram que os aplicativos de videoconferência como Zoom, Cisco Webex e GoToMeeting (73%) e aplicativos de comunicação como Slack, Teams e Google Chat (65%).

Segurança da força de trabalho

Este estudo também mostrou que a maioria dos líderes de TI (82%) disse ter notado mudanças positivas nas atitudes dos funcionários em relação à TI desde o início da pandemia. Ainda que muitas organizações já se preparem para retornar ao escritório, 47% dos entrevistados disseram que se sentirão confortáveis em retornar a um escritório físico quando a empresa esboçar um plano claro que garanta a segurança dos funcionários. No entanto, 43% gostariam que sua empresa oferecesse opções de teletrabalho, mesmo após a reabertura.

Investimento na transformação digital

No geral, estas tendências sugerem uma mudança maior na estratégia de computação na nuvem. Como os líderes de TI enfrentam os desafios simultâneos de continuar dando suporte ao trabalho remoto, permitindo um retorno ao local de trabalho e apertando os orçamentos, 91% disseram que estão alterando sua estratégia de computação na nuvem. Esta percentagem refere-se ao dobro da quantidade de pessoas que está a aclarar a migração para a computação em nuvem (45%) e a transformação digital (41%), em vez de colocar essas iniciativas em espera (22% e 21%, respectivamente).

No entanto, embora o uso e o investimento em tecnologias em computação em nuvem continuem aumentando, um terço dos entrevistados indicou que estão a ser criativos com o seu orçamento, 32% dos entrevistados pedem aos fornecedores de nuvem condições de pagamento estendidas e 31% estão renegociar os seus contratos de computação em nuvem. Cerca de 10% dos entrevistados indicaram que não poderiam pagar suas contas destas prestação de serviços este mês.

Artigos relacionados

O seu comentário...

*

Top