Experis lança serviço para reforçar cibersegurança das PMEs

O teletrabalho, e a necessidade da sua rápida implementação na sequência da eclosão da pandemia, deixou as empresas e os seus colaboradores vulneráveis a ataques cibernéticos, fugas de dados, quebras de serviço, ameaças internas e até tentativas de extorsão. Para fazer face a estes riscos a Experis, lançou um serviço de gestão e mitigação dos

A pandemia da Covid-19 abriu caminho para uma adoção massiva do teletrabalho e, embora gradualmente se estejam a reativar os formatos presenciais, esta é uma realidade que veio para ficar como modelo de trabalho para muitas empresas em Portugal.

O teletrabalho, e a necessidade da sua rápida implementação na sequência da eclosão da pandemia, deixou as empresas e os seus colaboradores vulneráveis a ataques cibernéticos, fugas de dados, quebras de serviço, ameaças internas e até tentativas de extorsão. Para fazer face a estes riscos a Experis, lançou um serviço de gestão e mitigação dos riscos associados ao trabalho remoto, para reforçar a cibersegurança das pequenas e médias empresas.

“Sabemos que 60% das empresas sofrem ciberataques após a implementação de sistemas de teletrabalho. Nas últimas semanas, assistimos, de resto, à proliferação de ransomware com a temática Covid-19 e a ataques de engenharia social e fraudes por email, que resultaram em quebras de serviço e fugas de dados em larga escala. Para dar resposta a este contexto particular, a Experis lançou uma solução rápida e económica, que pode ser implementada de forma remota, para ajudar as organizações a enfrentar, de forma estratégica, os desafios e riscos associados ao teletrabalho”, explica Pedro Amorim, Managing Director da Experis.

Segundo a empresa, este novo serviço, possibilita, em apenas cinco dias, e sem gerar qualquer disrupção na atividade, fazer uma análise dos riscos de cibersegurança das organizações e desenvolver um plano para mitigar as ameaças, de forma a que os colaboradores possam estar operacionais a partir de qualquer ponto, sem que isso comprometa a segurança da empresa e dos seus dados. 

“Esta crise pode representar uma excelente oportunidade para as organizações reforçarem os seus protocolos de segurança cibernética. Embora a pandemia tenha exigido às empresas uma solução de curto prazo, o nosso serviço fornece ativos de longo prazo, como controles de compliance e de ciber-segurança melhorados, políticas inovadoras e robustas de teletrabalho e BYOD (Bring Your Own Device), melhor formação e a definição de uma estratégia de continuidade de negócios para o futuro”, conclui Pedro Amorim.

Esta solução de cibersegurança é disponibilizada de imediato às empresas que recorram a este serviço e quer a entrega, quer a assistência podem ser feitas de forma remota.

Autores

Artigos relacionados

O seu comentário...

*

Top