Por que a cloud computing é mais ecológica do que pensávamos?

A fficiência da cloud vai muito além da maior capacidade e menor consumo de energia.

Por David S. Linthicum | Deloitte Consulting

A ideia de que a cloud computing é uma solução ecológica varia de pessoa para pessoa. Alguns dizem que o crescimento dos data centers está a ser impulsionado pelos “malvados” fornecedores de cloud. Estas empresas constroem estruturas enormes que consomem mais energia e água do que uma cidade pequena, ocupam um lote de imóveis que poderia ser usado ​​para a agricultura e não empregam tantos funcionários.

No entanto, em geral, os data centers administrados pelos principais fornecedores de cloud pública têm um efeito positivo no consumo de energia de computação. Porquê? Porque operam com cerca de 98% de utilização na maior parte do hardware físico. Por outro lado, os servidores físicos dos data centers corporativos tradicionais operam entre 5 a 10% da utilização, mesmo quando virtualizados.

A migração para a nuvem pública consume muito menos energia, considerando que a partilha de recursos com outros utilizadores. As ferramentas não utilizadas são alocadas automaticamente para outras pessoas que precisam delas. Assim, quanto mais construirmos data centers de cloud computing em vez dos corporativos, mais ecológicos seremos – contra-intuitivo, eu sei.

Outro resultado inesperado do crescimento da cloud computing é o número crescente de colaboradores remotos. Trabalhar em casa não é novidade – a maioria das pessoas faz isso de tempos em tempos -, mas a ideia de que não tem um espaço físico num prédio é realmente a tendência do futuro, por alguns motivos:

  • A computação na cloud fornece acesso onipresente aos dados e processamento de qualquer lugar que tenha conexão adequada à Internet – não importa onde esteja.
  • O crescimento do 5G resolve muitos problemas de largura de banda em áreas remotas com acesso à Internet abaixo do padrão ou inexistente.
  • Os escritórios que tenha um custa aproximado US$ 4 mil por mês. São US$ 48 mil por ano que poderiam ser economizados se os funcionários trabalhassem remotamente. Estes fundos poderiam ser alocados para a contratação de mais trabalhadores.
  • Hoje, existem mais ferramentas de colaboração online baseadas na cloud, que permitem que os membros de uma equipa compartilhem ideias, códigos, soluções e comunicações em geral. A produtividade é maior, considerando que está a remover a latência de um número infinito de reuniões presenciais que levam muito tempo. De fato, eu já vi muitos membros da equipa de devops que estão no mesmo edifício, mas nunca interagem pessoalmente.
  • Muitos que entram no mercado de trabalho optam por não comprar carro. Em alguns casos, nem carta de condução tiram até que seja absolutamente necessário. Estas pessoas preferem oportunidades remotas de trabalho.
  • Finalmente, aqueles que tentam atrair talentos descobrem que oferecer trabalho remoto permite a contratação dos melhores profissionais.

Não estou a dizer que a computação na cloud é a única facilitadora do trabalho remoto, mas é o principal fator das mudanças tecnológicas necessárias para tornar o trabalho à distância produtivo. Esta prática cria resultados positivos, como menos carros nas ruas (redução de tráfego, queima de menos combustível, redução de CO2), menor rotatividade nas empresas e custos reduzidos de espaço e infraestrutura em escritórios. O desafio é transformar o tempo gasto nas deslocações para o trabalho em tempo de produtividade.

Artigos relacionados

O seu comentário...

*

Top