O que é design thinking? Um método ágil de inovação

O Design Thinking evita os processos tradicionais de desenvolvimento a favor de um método ágil e flexível para o desenvolvimento de produtos e serviços com foco exclusivo no cliente.

Por Sarah K. White

O Design Thinking é um processo ágil e iterativo para abordar o design e a inovação, centrado nos desejos e necessidades dos utilizadores, e permite que as empresas se movam conforme o setor muda e a tecnologia evolui. O Design Thinking reconhece que não há uma maneira de resolver um problema. Como tal, a metodologia de design thinking encoraja questionar, experimentar, observar e inovar num ambiente que abraça diversas opiniões e idéias.

Com o design thinking, não deve confiar na hierarquia corporativa tradicional para obter idéias e aprovação. Em vez disso, deve criar um ambiente que incentiva os funcionários a desafiar as tradições corporativas e facilita os riscos calculados e inteligentes.

Benefícios do Design Thinking

Uma das maiores vantagens do design thinking é que pode estimular idéias inovadoras à medida que sua equipa percorre as fases de inspiração, criação e implementação, muitas vezes atingindo cada ciclo mais de uma vez, à medida que se desenvolvem novas idéias e explora novas soluções. Enquanto a maioria das estruturas e ideologias são divididas em etapas, o design thinking não deve ser abordado de maneira rígida e ordenada. Pode e deve alternar entre ciclos e processos como entender melhor, até que a solução e o design certos sejam alcançados.

À medida que novas tecnologias surgem, o design thinking torna-se um meio importante para transformar essas tecnologias em serviços e produtos fáceis de usar. O design thinking abraça a rápida mudança de tecnologia com uma perspectiva positiva que considera todas as possibilidades, não importa o quão “fora” ou criativa ela seja. Essa atitude será cada vez mais importante, pois as empresas encontrarão maneiras novas e empolgantes de fazer uso de tecnologias emergentes.

Princípios do Design Thinking

Na tecnologia, o design thinking é usado para criar projetos centrados no ser humano que são fáceis de usar e para fornecer a tecnologia aos utilizadores de uma maneira intuitiva e natural. Existem vários princípios fundamentais que definem o design thinking. Não são instruções passo a passo para introduzir o design thinking na sua empresa, mas são os princípios nos quais a sua estratégia de design thinking deve ser baseada.

  • Problemas perversos: Uma frase desenvolvida pelos teóricos do design Horst Rittel e Melvin Webber, “problemas perversos” representa problemas mal definidos ou complicados que têm soluções pouco claras e exigem pensamento criativo ou estratégias não tradicionais para serem resolvidas.
  • Enquadramento de problemas: Com o design thinking, há mais de uma maneira de visualizar um problema. Os problemas não são considerados pelo valor nominal. Em vez disso, eles são recontextualizados e reinterpretados para encontrar uma solução.
  • Pensamento focado na solução: em vez de focar nos problemas, um modelo de design thinking examina as soluções primeiro, o que pode ajudar a melhorar a compreensão do problema.
  • Raciocínio abdutivo: Esta forma de inferência lógica começa com uma observação ou conjunto de observações e solicita que encontre a explicação mais simples e provável para os problemas observados. É um estilo importante de raciocínio usado no design thinking para reformular problemas ou idéias e encontrar várias maneiras de abordar o problema ou a oportunidade.
  • Co-evolução de problema e solução: quando pensadores de design trabalham num problema, alternam entre pensar sobre o problema e procurar idéias para uma solução que ajude a ter ainda mais idéias de solução.
  • Representações e modelagem: modelos de computador e protótipos físicos são usados ​​para identificar requisitos, que às vezes podem ser abstratos, e para permitir que sua equipa teste, refine e avalie novas idéias.

Processo de Design Thinking

Existem quatro fases principais do pensamento de design que sua equipa percorrerá enquanto desenvolve soluções e produtos. Em vez de uma receita detalhada a seguir, o design thinking oferece uma estrutura flexível que pode interpretar conforme necessário para necessidades dos negócios.

  • Inspiração: Essa é geralmente a primeira fase do processo de design, durante a qual tentará entender o problema ou a oportunidade. Deve estabelecer objetivos, benchmarks, pontos de contato principais, requisitos, necessidades de tecnologia e como sua solução ou produto se encaixará no mercado da indústria.
  • Empatia: a empatia é sem dúvida uma das fases e princípios mais importantes do design thinking. Ao projetar soluções, produtos, serviços ou hardware, vai precisar realmente entender a perspectiva do cliente ou utilizador final.
  • Criatividade: Esta fase envolve o desenvolvimento de tantas idéias quanto possível, usando o pensamento divergente e convergente.  Alternará entre pensamento divergente, que envolve um grupo diversificado de pessoas que se envolvem em brainstorming estruturado e pensamento convergente, que se concentra nas melhores idéias para selecionar uma a seguir.
  • Implementação e prototipagem: Depois de estabelecer algumas das melhores idéias, é hora de modelar e prototipar criando produtos e serviços reais que podem ser testados, avaliados e refinados.

Empatia no design thinking

A empatia é um aspecto importante do design thinking. Ao considerar os desejos e necessidades dos clientes, utilizares e clientes, pode desenvolver o melhor produto, software ou serviço possível. Será preciso abordar o processo tentando entender como pode facilitar a vida do cliente ou como o produto final pode ser mais agradável, prático, eficiente ou fácil de usar. É mais do que considerar a estética da interface ou do produto físico, e mais sobre entender como as pessoas usam a tecnologia, o que elas querem obter com a experiência e como pode criar uma experiência mais significativa para o utilizador.

Trabalhos de design thinking

O design thinking pode fazer parte de praticamente qualquer trabalho, especialmente no setor de tecnologia, mas existem algumas funções específicas que exigem pensadores, arquitetos e gestores de design. Os trabalhos de tecnologia que exigem competências de design thinking normalmente incluem:

  • Estrategista de design thinking
  • Consultor de Design Thinking
  • Developer de experiência do utilizador
  • Investigadores da experiência do utilizador
  • Developers de aplicações
  • Diretor de design de serviços
Autores

Artigos relacionados

O seu comentário...

*

Top