Crescimento de investimentos em TI no Brasil são uma oportunidade para empresas portuguesas

O Brasil mantem-se em 9º lugar no ranking mundial de investimentos em TI, de acordo com uma amostra do estudo “Mercado Brasileiro de Software e Serviços”, da ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) com a IDC, divulgada num evento promivido pela a ABES ocorrido no dia 1 de abril, em São Paulo. Esta amostra, utiliza dados da IDC referentes ao último ano, e mostra que os investimentos em TI (software, hardware e serviços) no Brasil superaram as expectativas para 2018, chegando a US$47 biliões, um crescimento de 9,8% em relação a 2017, mais que o dobro da previsão para o ano em questão, que foi de 4,1%.

Detse valor, US$23,9 biliões (51,3%) são referentes a investimentos em hardware, US$12,2 bilhões (26,2%) a serviços e US$10,5 biliões (22,5%) a software. “Com um crescimento de 9,8%, o Brasil superou a média mundial de investimentos em TI em 2018, que foi de 6,7%. Estes dados mostram que uma tímida recuperação da Economia observada em 2018, aliada a expectativa de uma recuperação mais vigorosa à partir de 2019, provocaram uma retoma nos investimentos em tecnologia que superaram a expectativa, comprovando a importância do setor para que as empresas possam alcançar mais produtividade, eficiência e competitividade”, comenta Jorge Sukarie, vice-presidente do Conselho da ABES, que apresentou o esta amostra do estudo.
Com estes dados podemos afirmar que esta é uma oportunidade para as empresas portugueses de serviços TI apostarem no mercado Brasileiro sem os receios que o ambiente político pode criar. O mercado de TI sempre conseguiu um espaço a margem das questões políticas brasileiros. Num país de grande dimensão em que a tecnologia pode fazer uma enorme diferença, e em plena era de transformação industrial por via das TI, a aposta no mercado brasileiro deve ser equacionada a curto prazo pelas empresas que tem ofertas diferenciadas para os mercados de desenvolvimento de software, ou serviços globais em TI. Há exemplos fortes de que a experiência dos executivos portugueses aliadas a proximidade das culturas é também um elemento diferenciador na conquista do mercado brasileiro. Aliado a todos os fatores positivos existem também alguns exemplos de como não se deve estar no mercado brasileiro. Estando assim criadas condições únicas para enfrentar este desafio

Mercado mundial de TI

Os números preliminares do estudo, que deve ser publicado na íntegra no segundo semestre de 2019, indicam que o somatório dos investimentos em TI, em 2018, entre os países analisados, chegou a US$2,23 triliões, um valor 6,7% maior que o ano anterior. Os Estados Unidos lideram o ranking mundial com US$ 822 biliões, seguidos por China e Japão com US$250 bilhões e US$140 biliões, respectivamente.

Na América Latina, o Brasil manteve-se em primeiro lugar no ranking regional, responsável por 42,8% dos investimentos em TI, mais do dobro registado pelo México (20%), que ficou em segundo lugar, seguido pela Argentina (7,5%) e Colômbia (7,1%). A região investiu US$108,8 biliões no mercado de TI em 2018, representando quase 11% do total mundial.

Em relação ao investimento em TIC, que inclui TI e Telecom, o Brasil desceu uma posição, ficando em 7º lugar no ranking mundial, com US$ 97 biliões investidos, seguindo uma tendência de ligeira quebra dos últimos anos neste setor, que está relacionada à transição de voz para dados dos consumidores. Neste requesito, o Brasil ficou ainda à frente da Índia (US$86 bilhões) e logo depois da França (US$109 bilhões).

Previsões para o Mercado Brasileiro de TI em 2019

Entre algumas tendências apontadas no estudo, as soluções de próxima geração para segurança de informação figuram como uma área que deve atingir US$ 671 milhões, em 2019, crescendo 2,5 vezes mais rápido que as soluções tradicionais. Em relação ao uso da Inteligência Artificial (IA), o estudo indica que, no Brasil, 15,3% das médias e grandes empresas têm esta tecnologia entre as principais iniciativas e espera-se que isso dobre nos próximos quatro anos.

Já o Big Data e Analytics devem avançar em 2019, alcançando US$ 4,2 biliões. O mercado de Cloud Pública no Brasil estima-se que chegue a US$ 2,3 biliões em 2019. O ecossistema de IoT deve movimentar US$ 9 biliões em 2019, e crescer acima de 20% ano contra ano até 2022. O mercado de devices representará 38% de todo o investimento em TI no Brasil (cerca de US$ 24,5 bilhões), com a venda de dispositivos de maior valor.

A expectativa de crescimento para os investimentos em TI no Brasil para 2019 é de 10,5%, ainda impulsionada pela venda de devices, contra uma expectativa de crescimento médio mundial de 4,9%. Pode seignificar um retoma ao crescimento por parte do Brasil que pode crescer o dobro da média mundial, como ocorria até 2013. Para TIC espera-se um crescimento mais moderado, da ordem de 4,9%.

O seu comentário...

*

Top