ONU quer definir requisitos de 5G

Um conjunto de 13 requisitos estabelece as diferenças entre uma geração de tecnologia de mobilidade e a próxima, segundo um documento preliminar da UIT.

Logotipo 5GCom os departamentos de marketing dos operadores a lançarem reivindicações sobre características de 5G nos seus serviços, a União Internacional das Telecomunicações (UIT), organismo da ONU, entra em campo para definir o que pode ser aceite como comunicações móveis de quinta geração.

No Mobile World Congress 2017, em Barcelona, empresas como a Intel, Qualcomm e Ericsson estão a promover as suas estratégias para suportar a evolução da 5G. Mas há 13 requisitos que estabelecem diferenças entre uma geração de tecnologia de mobilidade e a próxima, segundo um documento preliminar da UIT.

Entre os elementos de definição estão valores de velocidades máximas de download de até 20Gbps, e de débito máximo para upload de até 10 Gbps. Apesar disso, as expectativas para ambientes reais serão tipicamente de 100 Mbps a descarregar dados e 50 Mbps no carregamento, alerta.

Quando as redes estiverem bastante ocupadas, a UIT exige que as infra-estruturas suportem pelo menos por um milhão de dispositivos conectados por quilómetro quadrado. O suficiente para enviar mensagens de texto em ambientes de grande concentração de pessoas e suportar actividades excessivas de redes domésticas de IoT.

Em ambientes urbanos com maior densidade, o documento não prevê que os veículos se desloquem a mais de 30 quilómetros  por hora (km/h)

Além disso, estão definidos os níveis mínimos de serviço entre pessoas que se deslocam a velocidades diferentes e para situações nas quais estão estacionárias, em deslocação pedestre ou por veículo. Em ambientes urbanos com maior densidade, o documento não prevê que os veículos se desloquem a mais de 30 quilómetros  por hora (km/h).

Mas para as zonas rurais definem dois níveis de serviço quanto a deslocações em veículos: para velocidades entre os 10 e 120 km/h e 500 km/h. No caso de se usar os sistema de transporte terrestre em estudo, HyperLoop, cuja velocidade média prevista é de 1000 km/h) o acesso móvel a Internet não está garantido.

As especificações surgem tituladas com a referência IMT-2020. O número é referente ao ano no qual a UIT espera haver serviços em conformidade com os requisitos.

Autores

Artigos relacionados

O seu comentário...

*

Top