Como ter sucesso num mundo “as a Service”

Para usufruir totalmente das oportunidades da cloud, as organizações de TI devem reestruturar-se para o futuro.

cinco areas que tendem a desarecer com a nuvem cloud-computing-645x400

O tema da cloud já não é novo. Hoje já sabemos que o cloud computing é um pré-requisito para criar negócios escaláveis, assentes na combinação de custos e elasticidade. No entanto, as empresas e os CIO continuam a lutar para trabalhar no novo modelo de forma eficaz, talvez porque tenham subestimado as mudanças necessárias.

A migração com sucesso para o cloud computing não é uma alteração trivial. De facto, poderá ser uma das mais significativas mudanças enveredadas pelas organizações de TI. Implica mudanças na forma como as organizações funcionam, no modo com disponibilizam os seus produtos e serviços e na velocidade com que essas tarefas são desempenhadas.

Obrigada a uma mudança completa das mentalidades nas empresas e novas formas de trabalhar, o que não é fácil para a maioria das empresas. Não obstante algumas empresas terem compreendido a dimensão da tarefa que têm em mãos, ainda não conseguiram delinear o caminho a percorrer.

87% dos executivos acredita que mais de um quarto dos seus trabalhadores terá de mudar devido à cloud, diz a Accenture.

De acordo com a análise “Strategy” da Accenture, 87% dos executivos acredita que mais de um quarto dos seus trabalhadores terá de mudar devido à cloud. Dois terços acreditam que até metade da organização precisa de se transformar.

Os CIO precisam começar a viagem da transformação dando pequenos passos, focando-se em áreas específicas e atingindo sucessos passíveis de mostrar ao resto da organização, reunindo condições para poder prosseguir a jornada mais abrangente.

O que é preciso mudar nas organizações para se prepararem para as oportunidades cloud?

Transformar o modelo operacional

Uma empresa preparada para a cloud tem de mudar de uma estrutura de “comando e controlo” para uma estrutura mais homogénea. Tal não significa que é necessário mudar tudo de um dia para o outro. Deve começar-se por um conjunto de serviços específicos, no qual se pode trabalhar discretamente. É o caso, por exemplo, dos ambientes de desenvolvimento e testes, que não têm ainda dados em produtivo.

A transformação do modelo operacional não precisa ser feita de um dia para o outros. Pode começar-se por ambientes de desenvolvimento e testes.

Este primeiro passo permite por um lado um rápido desenvolvimento rápido e por outro permite aos departamentos de TI tirar vantagens significativas do modelo disponibilizado através da cloud. Ao apresentar resultados nestes serviços básicos, pode avançar-se para outras áreas.

O Capital One, um banco norte-americano, começou por experimentar sistemas numa plataforma na cloud e rumou, posteriormente, para o desenvolvimento, teste, construção e colocação em produtivo de fluxos de trabalho mais críticos em cloud computing. A cloud é agora uma peça central na estratégia tecnológica do banco e o banco planeia reduzir a “pegada” de centros de dados nos próximos dois a três anos.

Mudança de cultura

A maioria das empresas não encara com facilidade o falhanço. No entanto, está subjacente ao ambiente de negócios assentes na cloud a máxima “falhar rápido e ser inovador”. As equipas de serviços que trabalham de modo colaborativo evitando barreiras organizacionais são uma forma de promover esta mudança cultural. Estas equipas devem começar por disponibilizar serviços mais simples e precisam integrar um conjunto de competências de negócio e tecnologia que lhes permita disponibilizar esses serviços rapidamente e de forma independente.

O estudo Accenture Strategy revela que 64% dos executivos seniores acreditam que os fornecedores XaaS vão disponibilizar novas capacidades mais rapidamente do que uma organização tradicional de IT.

A pesquisa da Accenture Strategy revela que 64% dos executivos seniores entrevistados acreditam que os fornecedores XaaS vão disponibilizar novas capacidades mais rapidamente do que uma organização tradicional de IT. Ao utilizar modelos XaaS, as equipas internas tornam-se mais ágeis e podem tomar decisões mais rapidamente, alterando as prioridades rapidamente para fazer face a novas inovações.

Um exemplo apresentado é o da News Corp UK. A organização optou por migrar as aplicações empresariais para a cloud. A editora aumentou a velocidade e agilidade e está a poupar porque pode reduzir a dimensão das equipas de suporte interno.

Concentração em novas competências e capacidades

O modelo operacional qualquer-coisa-as-a-service (XaaS) requer um conjunto de competências específicas melhoradas ao nível do serviço, gestão estratégica de fornecedores e gestão de contas, entre outras áreas. Os CIO podem optar por incrementar as competências das equipas actuais ou procurar novo talento no mercado para preencher estas necessidades, colmatando as lacunas de competências internas.

Os CIO podem optar por incrementar as competências das equipas actuais ou procurar novo talento no mercado, colmatando as lacunas de competências internas.

A nova estrutura organizacional deve incluir uma combinação de equipas de serviço transversalmente responsáveis por operações, gestão e desenvolvimento de serviços e de equipas de coordenação com capacidade de gestão de pessoas, governação e estratégia como um todo.

Futuro

A adopção do cloud computing está a aumentar a alta velocidade e as estruturas organizacionais precisam de apanhar o ritmo. Os CIO podem ajudar as empresas a migrar efectivamente para um novo modelo operacional ao pensar grande, mas começando pequeno. Estas melhorias incrementais vão acumular-se e vão contribuir para que as organizações de TI se tornem mais responsivas, ágeis e inovadoras e preparadas para o futuro.

Autores
Tags

Artigos relacionados

O seu comentário...

*

Top