Ecommerce Europe solicita alterações à reforma de protecção de dados

A associação europeia pretende um maior equilíbrio na próxima regulamentação e que esta não crie mais encargos administrativos para os retalhistas.

ecommerce-europe-data-protection-and-privacyA Ecommerce Europe considera que a General Data Protection Regulation (GDPR), a nova regulamentação da União Europeia de Protecção de Dados, tem de ser mais “equilibrada”, numa tomada de posição pública.

Recomenda a revisão de “alguns elementos-chave do texto” no sentido de não criarem encargos administrativos adicionais aos vendedores online, e evitarem um impacto negativo da nova lei no negócio digital europeu.

“Em primeiro lugar, a associação considera que os legisladores têm de reconhecer o importante papel que as comunicações electrónicas e o marketing de dados representam no modelo de negócio dos comerciantes online”, refere uma nota publicada no site da ACEPI.

A Ecommerce Europe defende uma “abordagem integrada entre a protecção de dados e a privacidade por forma a evitar uma dupla regulamentação”. A reforma geral da legislação já vai incluir algumas das regras da directiva E-Privacy, argumenta.

A Ecommerce Europe defende que o uso de cookies estimula a inovação.

A posição da associação europeia considera ainda que, mesmo em situações na qual não é solicitada, a comunicação de comerciantes para consumidores beneficia ambas as partes. Outro aspecto sublinhado é o reconhecimento do potencial económico dos desenvolvimentos recentes na área de tratamento e análise de dados.

Neles, a organização inclui a definição de perfis, o marketing directo ou o uso de cookies. E argumenta que “estimulam a inovação e permitem às empresas optimizarem a personalização mediante as novas exigências dos consumidores”.

São também analisados outros temas como o da portabilidade dos dados.

 

Autores

Artigos relacionados

O seu comentário...

*

Top